Vinte e quatro empresários da região Noroeste/Missões participaram no último sábado (30/05) do Encontro Empresarial – Dando as Tintas na Faculdade Uníntese, em Santo Ângelo. O evento, que é uma parceria entre o Sindigraf-RS e a Zênite Sistemas, contou com a palestra Gestão Empresarial e o curso Formação de Preço de Vendas, ambos ministrados pelo gerente comercial da Zênite Sistemas, João Alex Fiorentino.
Segundo o especialista, a indústria gráfica nacional enfrenta atualmente uma série de problemas de ordem econômica, mas o maior deles é o desconhecimento da forma correta de se levantar custos e formar preços de vendas. Entre as dificuldades, ele destaca métodos errôneos e arcaicos para o cálculo de custos/hora de orçamentos. Além disso, Fiorentino diz que há carência na análise do custeio fixo e ponto de equilíbrio e a falta de compreensão básica de gestão de negócios. “São feitas vendas sem análise de crédito e das necessidades do mercado e do rol de clientes e trabalhos, e também compras de equipamentos que ficarão ociosos”, analisa o consultor. Ele explica que isto geralmente é feito para evitar terceirizações, mas os empresários acabam não avaliando o problema do excesso de imobilização de capital.
O sócio-gerente da Emgrapan, de Panambi, Marcelo Rahmeier, conta que o curso destacou aspectos que, às vezes, o empresário não se lembra de incluir no custo final do produto. “É necessário diminuir custos e aumentar a eficiência”, acrescenta. Para a gerente financeira da Kunde Indústrias Gráficas, de Santa Rosa, Regina Maicá, a formação incentivou uma administração com foco no novo, principalmente em empresas familiares. “Devemos evitar o conservadorismo e o individualismo”, sugere.
Fiorentino diz ainda que, muitas vezes, o empresário confunde o negócio com sua vida particular, não estipulando metas para crescimento, reservas de capital para reposição de equipamentos, manutenção e encargos. “Essas retiradas fora do alcance da empresa podem comprometer seu futuro”, alerta. A fim de alcançar uma forma moderna e eficaz de gerir as empresas gráficas, alguns sistemas informatizados de orçamento estão disponíveis para o mercado. De acordo com Fiorentino, os que mais se adaptaram à indústria gráfica foram o cálculo do coeficiente de Burden e o levantamento dos custos indiretos, chamado sistema RKW. “O Burden é apenas uma variação do RKW, cujo sistema de cálculo de custos foi criado na Alemanha e tem por objetivo levantar o custo/hora dos centros de produção de uma empresa, que será utilizado no cálculo do orçamento”, explica. FONTE: Sindigraf-rs